A cultura das redes sociais e as mudanças nas formas e estilos da comunicação colocam sérios desafios àqueles que querem falar de verdades e valores. (Bento XVI)

Hoje resolvi ir direto para o ponto importante. O que desejamos passar para os nossos leitores virá da melhor mídia: o púlpito sagrado ou dos seus sagrados utilizadores. Isso porque sabemos pairar a augusta providência divina sobre os acontecimentos.

Alguns ocorridos dignos de nota aconteceram e não podíamos deixar de colocar aqui.

Primeiramente vimos como a liturgia do último domingo foi muito oportuna para nós. Decerto quem meditou sobre a sua aplicação sentiu na alma muitas inspirações… Consequentemente, já era de se esperar, os sacerdotes arautos do mundo inteiro sentiram-se inspirados a aplicar a lectio divina para os acontecimentos atuais. Recebi de muitos amigos pelo mundo afora, dos quais uma boa parcela não é propriamente membro da família arautos, elogios entusiásticos pelas homilias. Por conseguinte vários sacerdotes que não pertencem a comunidade religiosa decidiram sair em defesa dos Arautos, sem nada ser pedido pela instituição. Não podíamos deixar de ver nisso a mão de Deus.

A fim de todos sentirem o que foi essa concatenação dos fatos resolvemos pegar alguns vídeos que demonstram tudo o que explicamos. Dessa maneira todos os que nos acompanham podem tirar suas conclusões. Cumpre apenas explicar que vamos colocar apenas alguns, pois senão viraria uma sessão extensa. Se não tiverem tempo mesmo assim para assistir tudo, passem um pouco por todos para se ter uma noção.

A melhor mídia

O primeiro vem da nossa Arquidiocese – para prestigiar não é mesmo… – os outros vieram de vários recantos brasileiros. Sem conotação política ou partidária, veremos o que a lucidez inspirada na fé pode fazer para aclarar os corações.

Enfim terminamos com as palavras do Papa Francisco: “Hoje o clima midiático tem suas formas de envenenamento. As pessoas sabem, percebem, mas infelizmente se acostumam a respirar da rádio e da televisão um ar sujo, que não faz bem. É preciso fazer circular um ar mais limpo. Para mim, os maiores pecados são aqueles que vão na estrada da mentira, e são três: a desinformação, a calúnia e a difamação”.